Em junho de 1957, quando se iniciava a construção de Brasília, foi inaugurado o hospital do Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Industriários (IAPI), denominado Hospital Juscelino Kubitschek de Oliveira (ou simplesmente HJKO, como era conhecido). Localizava-se entre a Cidade Livre (atual Núcleo Bandeirante) e a Velhacap (atual Candangolândia), áreas residenciais improvisadas e construídas de madeira, inclusive o próprio hospital, que abrigava grande parte daqueles envolvidos com os trabalhos de instalação da nova capital.

Semelhante ao que acontecia em outras regiões brasileiras, naquele hospital as anestesias eram praticadas pelos próprios cirurgiões ou obstetras, como parte do atendimento ao seu paciente, ou eram realizadas por alguns destes médicos quando, eventualmente, atuavam como anestesista nos casos considerados como de maior gravidade.

Dentre os pioneiros do HJKO, encontrava-se o Dr. Orlando Marum Jorge, obstetra que, após algum tempo nessa área, dedicou-se exclusivamente à anestesia, figurando inclusive como sócio fundador da SADIF. Assim, por mérito, pode-se atribuir ao Dr. Orlando Marum Jorge a realização da primeira anestesia no HJKO, em julho de 1957, quando foi praticada a primeira cirurgia; uma apendicectomia, pelo Dr. Elias Jorge Haum. Embora não se tenha certeza quanto às drogas utilizadas, sabe-se que as drogas disponíveis eram o nesdonal, flaxedil e éter dietílico, pois a entubação traqueal era excepcionalmente realizada. A manutenção era feita sob máscara com inalação de éter, utilizando-se aparelho de anestesia de procedência americana (possivelmente um aparelho Foregger).


Gradualmente, o quadro de pessoal foi se expandindo, com a admissão de outros médicos para atuarem com anestesistas: Romeu Nogueira da Gama (1959), Xênia Sylvia Gehard (1960), Jarbas Torres Dantas (1961), Ronaldo Angra Machado (1961), Adir Souza Rego (1961).

Em 21 de abril de 1960, entrou em funcionamento do 1º Hospital Distrital de Brasília (atual Hospital de Base do Distrito Federal), que somente foi inaugurado no dia 12 de setembro de 1960. Por ordem de admissão, pertenciam à Unidade de Anestesiologia: Xênia Sylvia Gerhard, Romeu Nogueira da Gama, Ronaldo Angra Machado, Milton Celestino Ferreira e Maria Auxiliadora de Carvalho.

Gradativamente, o 1º HDB foi assumindo a assistência médica do Distrito Federal e compondo o seu quadro de especialistas. Em 1962, a Unidade de Anestesiologia foi ampliada, com a admissão de quatro profissionais: José Carlos Dias Ferreira, Edson Cruz, Maria Aída Arruda Santos e Jarbas Torres Dantas; este último pertencia ao quadro médico da Aeronáutica e já atuava em Brasília desde 1961, como anestesista do HJKO.

Como primeiros anestesistas portadores do TSA (na época, TEA), dentre os pioneiros da especialidade em Brasília, citamos o Dr. Enio Montoro, que chegou a Brasília em 1961, vindo de Londrina (PR), já portador do título obtido no primeiro concurso do TEA, realizado em Porto Alegre, no ano de 1957, durante o IV CBA; a Dra. Xênia Sylvia Gerhard, que veio para Brasília em 1960, transferida do IAPI do Rio de Janeiro, tendo sido aprovada no 6º concurso do TEA, realizado em Salvador, no ano de 1962, durante o IX CBA. Vale ressaltar que a Dra. Xênia foi o primeiro nome profissional com treinamento formal em anestesia, a instalar-se em Brasília. A seguir, registram-se os nomes de José Carlos Dias Ferreira e Maria Auxiliadora Magalhães de Carvalho, que foram aprovados na prova do TEA realizada em Brasília, no ano de 1968, durante o XV CBA.

A SADIF – Desenvolvimento como regional

A primeira referência oficial da existência de anestesistas no atual Distrito Federal é encontrada na publicação do Quadro Social da SBA, pelo boletim Anestesia (janeiro 1962), com os nomes: Maria Auxiliadora M. de Carvalho, Edson Cruz, Jarbas Torres Dantas, Nilton Celestino Ferreira, Romeu B. M. Nogueira da Gama e Xênia Sylvia Gerhard. Ainda no mesmo ano, citada como representante da Regional de Brasília, a Dra. Xênia Sylvia Gerhard participou da Assembléia de Representantes, realizada em Salvador, no dia 29 de novembro de 1962, durante o IX CBA.

Antecedendo os citados registros, ocorreu entre os anos de 1960 e 1962, um gradativo processo de formação de uma estrutura associativa, que seria depois chamada de SADIF. A idéia inicial era instituir uma organização com finalidades científicas e de prestação de serviços médicos de anestesia às entidades públicas e privadas, como esclarece o Dr. Enio Montoro, um dos idealizadores do projeto: “Nós formamos um grupo para constituir uma sociedade com critérios mais ou menos de cooperativa, visando congregar todos os anestesistas...”. Assim, nasceram suas organizações, a SEAB (serviços Especializados de Anestesia de Brasília), e a CADIFE (Clínica de Anestesia do Distrito Federal). Delas faziam parte todos os sete ou oito anestesistas que trabalhavam em Brasília.

Desde os primeiros meses de 1962, os anestesistas do quadro do 1º HDB reuniam-se semanalmente para discussão de casos clínicos. Dessas conversações, foi amadurecendo a idéia da formação de uma sociedade científica, sem qualquer conotação de prestadora de serviços médicos e estruturada como regional da SBA. A idéia gradativamente evoluiu até a discussão de um estatuto para a futura sociedade. Tal estatuto fora adaptado pelo Dr. José Carlos Dias Ferreira, a partir de uma cópia do estatuto da SAEG (Sociedade de Anestesiologia do Estado da Guanabara) que conseguira com o Dr. Peter Spiegel (então secretário da SAEG). Assim, em outubro de 1962 a SBA aprovou o estatuto da SADIF, enviado juntamente com a relação de 12 sócios fundadores, número mínimo para constituição de uma regional da SBA.

Sócios Fundadores:

Enio Montoro
Edson Cruz
Jarbas Torres Dantas
José Carlos Dias Ferreira
Maria Alice Arruda Santos
Maria Auxiliadora Magalhães de Carvalho
Miguel Angel Porras Mayorca
Milton Celestino Ferreira
Orlando Marum Jorge
Romeu Braga Monteiro Nogueira da Gama
Ronaldo Angra Machado
Xênia Sylvia Gerhard

Seguiu-se a eleição da primeira Diretoria da SADIF, que exerceu seu mandato durante o ano de 1963:
Presidente: José Carlos Dias Ferreira
Secretário: Xênia Sylvia Gerhard
Tesoureiro: Jarbas Torres Dantas
Bibliotecário: Miguel Angel Porras Mayorca

A Sociedade recém–constituída não possuía sede própria, nem um local definido para suas atividades administrativas, com as reuniões da diretoria realizadas na residência de dos diretores ou nas dependências do 1º HDB.

Em 1967, na presidência do Prof. Zairo Vieira, a SADIF concluiu as formalidades burocráticas, definindo sua situação estatutária como Regional, de fato, da SBA. O seu estatuto foi registrado em cartório. Procedeu-se o recadastramento dos sócios e a reestruturação administrativa da secretaria. Naquele mesmo ano, formaliza-se sua condição de departamento de anestesiologia da Associação Médica de Brasília (AMBr). Fechando o ciclo de desenvolvimento inicial da SADIF, durante a AR do XIV CBA, em Porto Alegre, o nome de Brasília é homologado para sediar o próximo Congresso Brasileiro de Anestesiologia. O evento teve grande sucesso, foi presidido pelo Dr. Zairo Vieira e realizado no Hotel Nacional, único em Brasília com capacidade para acomodar a estrutura que se exigia para o conclave.

Centros de Ensino e Treinamento

Em janeiro de 1967, é publicado no boletim Anestesia o nome CET do Serviço de Anestesiologia do Hospital Distrital de Brasília, em uma lista de 20 Centros de Ensino, reconhecidos pela SBA. Tinha como responsável o Dr. Iton Barros, que permaneceu na função até o ano de 1980. Seus primeiros residentes foram os Drs. Edrise Vinagre Villar, Francisco Elio da Silveira e Manoel Albuquerque Barros.

O segundo CET instalado pela SBA em Brasília, na Unidade Integrada de Saúde de Sobradinho, Hospital Escola da Universidade de Brasília, sob responsabilidade do Prof. Zairo Eira Garcia Vieira, iniciou suas atividades em janeiro de 1968. Os primeiros residentes foram os Drs. Edno Magalhães e João Batista Cavalcanti Araújo. Aquele CET permaneceu sob responsabilidade do Prof. Zairo até o ano de 1987.

O terceiro e último CET foi instalado no Hospital regional da Asa Norte (HRAN), em 1993, sob a responsabilidade do Dr. Dalmo Garcia Leão. Os primeiros residentes foram os Drs. Edno Magalhães e João Batista Cavalcanti Araújo. Aquele CET permaneceu sob responsabilidade Dr. Dalmo Garcia Leão.

Curso Fundamentos Científicos da Anestesiologia

Teve início em 1968, sob denominação de Curso Preparatório para o TEA. A partir de 1974, tornou-se um curso de Extensão Universitária da Universidade de Brasília, com seu conteúdo reformulado, substituindo-se o programa do TEA por outro, direcionado para os Fundamentos Científicos da Anestesiologia.

Extraído de:

Pereira E, Magalhães E, Saraiva RA. Distrito Federal (Brasília). In: Lima OS, Machado WS, Martins CAS. Sociedade Brasileira de Anestesiologia: 50 anos de história. Sociedade Brasileira de Anestesiologia, Rio de Janeiro, 1999.